Promovendo tradição

Quarta-Feira, 20 de Novembro - Pomerode é conhecida como a cidade mais alemã do país e o título não faz referência somente ao idioma ainda preservado no município, mas sim, a cultura ainda mantida pelos moradores.

Se a culinária e as casas em enxaimel são o ponto forte do turismo cultural, os carros de mola não ficam atrás quando o assunto é tradição. Por conta disso, muitos destes exemplares ainda podem ser encontrados pelas ruas pomerodenses.

No entanto, se por um lado, a população procura preservar os passeios típicos, por outro, há quem se vê contra esta ação alegando, entre outras coisas, que os animais são vítimas de sofrimento.

A Associação Visite Pomerode - AVIP, que representa cerca de 30 empresas ligadas ao turismo de Pomerode, expressou sua opinião sobre o assunto, uma vez que tem acompanhado alguns questionamentos sobre a atividade, além da pressão que os condutores destes carros têm sofrido. A Associação Visite Pomerode é contrária à crueldade contra animais. No entanto, não entendemos o trabalho exercido pelos cavalos que puxam as charretes como uma crueldade. Enxergamos sim como um trabalho exercido em benefício das pessoas, como fazem cães guia, farejadores e muito outros. Naturalmente, para tal, devem ser observados em seu exercício os cuidados básicos para assegurar a saúde e integridade dos animais, enaltece a instituição.

Cuidado este tomado por Reinaldo Sievert, de 68 anos, que há 10 leva turistas e pomerodenses pelos roteiros da cidade com o carro de molas. Os cavalos são devidamente alimentos e ficam soltos em minha residência. Atenção e cuidado são fundamentais e acredito que não haja nenhum tipo de maltrato nessa atividade, reitera.

A Avip acredita, ainda, que este serviço exerce a promoção da tradição. Acreditamos que este trabalho que os cavalos exercem é uma forma de promover contato com os animais para muitas pessoas, e é uma manifestação de uma tradição e da cultura da cidade. E na tradição das Kutschen (carros de mola) rememora-se o papel tão importante que os animais de trabalho tiveram para a sobrevivência e prosperidade dos imigrantes, e preservá-la é também preservar um pouco do modo de vida de Pomerode, do qual nos orgulhamos, enaltece.

Reinaldo reforça a visão da Avip e exalta o interesse dos turistas neste tipo de condução. Os turistas que chegam a nosso município ficam encantados com os carros de mola e realizam os passeios sempre enaltecendo a preservação de nossa cultura. Além disso, pedem para que ela seja mantida, pois faz parte de nossa história, completa.

A Secretária de Cultura, Turismo e Esporte, Rejane Koch Goede, também enaltece a importância desta preservação. A prestação do serviço de transporte de passageiros através de charretes e similares é de significativa importância para atender os turistas e visitantes que saem de grandes centros e cidades que não possuem este tipo de transporte, e que podem desfrutar desta alternativa para conhecer Pomerode e ainda conseguir informações, visto que os condutores prestam esclarecimentos e dicas sobre a cidade, comércio e cultura para os seus usuários. Os carros de mola fazem parte das imagens turísticas de Pomerode e servem como uma opção de city tour , pois os charreteiros são pessoas conhecedoras de histórias e dos pontos turísticos, além do turista ter a oportunidade de passear pelo Centro de forma diferente ou que remete ao passado, também podem ouvir muitas histórias contadas pelos donos das charretes, completa.

Uma reclamação dos munícipes diz respeito ao trânsito de veículos ser prejudico com a atividade. A reclamação é em virtude da diminuição de espaço físico nas ruas centrais da cidade que foi ocasionada pela reurbanização do centro da cidade no ano de 2012 e que atualmente gera maior movimento e pequenos congestionamentos mesmo sem a presença dos carros de mola, afirma a Secretária.

O condutor começou a trabalhar no ramo após aposentar-se e hoje não larga mais a função. Para exercer o trabalho, é necessário ser credenciado e capacitado, conforme lei. Eu adoro o que faço. Recebemos algumas críticas, buzinadas e sabemos que algumas pessoas acham que o trabalho é excessivo para os animais, mas digo que não é, afirma.

Além de ser prazeroso, o trabalho também sustenta alguns de seus proprietários. Naturalmente, os carros de mola são um ganha-pão para seus condutores, empreendedores individuais, e uma atração turística para a cidade, muito apreciada pelos visitantes - e também pelos pomerodenses, explica a Avip.

No entanto, o peso levado pelos animais está dentro de seu limite e este é um cuidado que Reinaldo toma. Dois cavalos podem levar até uma tonelada juntos. A charrete pesa, em média, 400 quilos. Também sempre respeito o número de pessoas que vou levar para não cansar os animais, conta.

A atividade é efetuada nos fins de semana e, em média, são 20 viagens nos dois dias. Muitas turistas poderiam transformar o carro de mola em táxi, pois adoram passear com ele. Todavia, nossos passeios são efetuados, na sua maioria, em 15 minutos. Além disso, temos aqui ao lado do Centro Cultural água para dar aos animais sempre que necessário. O resto da semana eles não efetuam nenhuma atividade, apenas se alimentam e ficam no pasto, explica.

Apesar da Secretaria não efetuar vistoria, Reinaldo afirma que a efetua constantemente para conservar a charrete, além dos passageiros e animais. No entanto, a lei municipal 1672, de setembro de 2002, regulamenta o transporte de passageiros em charretes, mas não estipula de quem é a responsabilidade da limpeza dos dejetos deixados nas vias públicas.

Quando o assunto é problema em relação a estes animais, nenhum, até agora, pôde ser contabilizada no município. Lembramos também que não há relato de ocorrência no exercício desta atividade em Pomerode, seja por um problema de saúde do animal, acidente de trânsito ou outros, o que atesta em favor desta atividade exercida há décadas, reforça a Avip.

Por esses motivos, a entidade pede para que as colocações sejam ouvidas e consideradas, para que esta atividade possa ser mantida e valorizada, mesmo sabendo das dificuldades que representa para o trânsito de automóveis. O trabalho efetuado por organizações que prezam pelo bem-estar dos animais deve ser valorizado, pois, ao contrário do que acontece com estes cavalos que guiam os carros de mola em Pomerode, outras situações podem ser registradas. Aproveitamos para reconhecer a importância de muitos trabalhos feitos por defensores de animais e suas organizações. No entanto, muitos ativistas são contra toda forma de trabalho animal, e mesmo contra o consumo de produtos de origem animal. Reconhecemos o direito dessas pessoas de expressar sua posição, e acreditamos que em um ambiente democrático é justamente a dinâmica de opiniões que contribui para conclusões mais pensadas. Mas nos sentimos na obrigação de lembrar que esta não é a única opinião e, neste tópico, acreditamos que nem mesmo a opinião da maioria. Pedimos também a todas as partes envolvidas nesta discussão, que procurem debater de forma democrática e civilizada, evitando chantagens contra a cidade, como já ocorreu em anos anteriores, em que extremistas estimularam irresponsavelmente um boicote à cidade, seus produtos e seu turismo como um todo, finaliza a Avip.

Preservar a cultura é manter a identidade da cidade, de acordo com Rejane. Manter a tradição representa a manutenção da identidade cultural herdada dos imigrantes alemães que usavam este meio de transporte e que até os dias atuais é preservada pelos seus descendentes fortalecendo a imagem de Pomerode, completa.

Finalizando, a Secretária enaltece a atividade, alegando ser um atrativo a mais para o turista. O exemplo de cidades turísticas europeias como Berlim na Alemanha, Cracóvia, na Polônia, que usam carros de Mola em seus centros históricos e vias públicas para ser uma alternativa a mais para o turista, faz com que a Secretaria de Turismo de Pomerode seja favorável à continuidade desta opção de passeio na cidade e entende que é necessário melhorias tanto nas charretes como mais cursos de capacitação para seus condutores. Porém, é inquestionável que esta opção de transporte é um atrativo para o visitante, muito procurado pelo turista e que deve ser mantido por fazer parte da cultura herdada dos imigrantes e pelo fato de não existir maus tratos aos animais conforme umas minorias de ativistas locais alegam. A Secretaria de Turismo ainda ressalta que discutiu o tema em reuniões e que está em total acordo com outras entidades legalmente constituídas como a Acip e Avip, que também já se manifestaram a favor da continuidade das charretes nos passeios de turistas em Pomerode, finaliza Rejane.

Fonte: Avipomerode

Página Inicial

Nossa Pomerode

Agenda Completa

Notícias

Vídeos

Rota Gastrônomica

Aventuras Radicais

Festas Municipais

Hotelaria

Contato

É SÓ CURTIR

Curta a gente nas redes sociais e fique por dentro das novidades.

Todos direitos reservados a Pomerode Online

Desenvolvido por D.M System & Design